Quarta-feira, 9 de Janeiro de 2008

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Município – “Chaves 2015”

Plano Estratégico de Desenvolvimento do Município – “Chaves 2015”

 

O desígnio integrador e mobilizador deste documento estratégico, perspectivado no horizonte 2015, é posicionar o Município de Chaves na trajectória do desenvolvimento sustentado como Território de Actividades Económicas, de Turismo e de Cooperação.

 

Território de Actividades Económicas, porque sempre foi um centro comercial de referência, porque tem vindo a reforçar, procurando conjugar a dinâmica necessária do Comércio Tradicional com novas formas e escalas de comércio.

Porque a componente empresarial aumenta a diversidade, a especialidade, a escala, a tecnologia e a sua área de influência, também neste contexto Chaves se constitui como referência na localização empresarial e como importante nó da rede de plataformas logísticas, passando a ser, também neste sector, uma referência com futuro.

 

Território de Turismo, porque a densidade histórica do território que gravita em torno de Chaves faz desta cidade um cadinho cultural e patrimonial que lhe confere uma mística ímpar.

A privilegiada localização geo-estratégica de Chaves, conjugada com as boas acessibilidades, a diversidade paisagística, cultural e patrimonial e a inquestionável capacidade de resposta em áreas fundamentais como o Termalismo e o Bem-estar, a Hotelaria, a Restauração e o Lazer, potenciam o interesse em conhecer e usufruir este espaço geográfico.

Cumprir a vocação histórica, compatibilizando Tradição e Modernidade, é o desafio presente e futuro no sector do Turismo. Os importantes investimentos em curso e os perspectivados no concelho (Vidago e Chaves) constituem um decisivo reforço desta opção.

 

Território de Cooperação, porque o novo paradigma impõe a cooperação como um dos mecanismos da sustentabilidade do desenvolvimento dos povos. Por isso, a cooperação, sob as mais variadas formas, nos mais diversos âmbitos e a diferentes níveis, tem sido um princípio de referência do Município de Chaves na prossecução do desenvolvimento. Em coerência com tal princípio Chaves deu já um passo em frente com a criação da Eurocidade Chaves/Verín.

Aproveitando as relações históricas, a coesão económica e social existentes, a localização estratégica face ao nó de dois dos principais eixos viários da Euro Região (A24-SCUT Interior Norte e a A52-Autovia das Rias Baixas), bem como a continuidade territorial de diversos ecossistemas, considera-se estarem reunidas condições para a implementação do projecto da Eurocidade Chaves/Verín, já em curso sob a coordenação do Eixo Atlântico e da CCDR-N, com a participação da junta da Galiza e da Diputacion de Ourense.

Em prol do desígnio agregador convergem políticas e medidas que visam alcançar os seguintes objectivos:

- consolidar e desenvolver o tecido empresarial;

- integrar e promover o sector logístico;

- valorizar o património natural e cultural;

- potenciar o sector do turismo em todas as vertentes, com a especificidade do Termalismo;

- assegurar uma rede de saúde e de acção social para segurança da população;

- consolidar a valorização dos recursos humanos dos vários níveis de formação e aprendizagem;

- revitalizar o sector desportivo pela criação de infra-estruturas comuns e práticas diversificadas;

- fortalecer a coesão territorial pelo reforço das infra-estruturas de transporte e comunicação;

- dinamizar a cultura pelo aproveitamento das infra-estruturas/equipamentos existentes e previstos;

- desenvolver o mundo rural pela promoção dos seus produtos específicos em articulação com novas actividades.

Tendo por base os pilares fundamentais do desenvolvimento sustentável – Desenvolvimento Económico, Coesão Social e Protecção Ambiental – este documento estratégico pretende ser uma contribuição essencial, em articulação com os demais instrumentos ao alcance dos órgãos municipais e dos Flavienses em geral, para promover o desenvolvimento local numa perspectiva integradora de visões sectoriais.

Enquanto instrumento estratégico de Desenvolvimento Local construído a partir de diagnósticos de vários estudos realizados até agora e de uma diversificada e ampla participação pública, promovida em sede de dossiers como a Agenda 21 Local, a Carta Educativa e a Revisão do PDM, entre outros, este documento procura relevar as potencialidades, identificar as debilidades e as ameaças e perspectivar as oportunidades deste território, tendo por referência as orientações estratégicas e instrumentos de gestão territorial de âmbito europeu, nacional, regional e local.             

Sabendo que este tipo de exercício prospectivo se faz partindo de variáveis que carecem de contínua actualização, apesar do fundado conhecimento da realidade local, baseado na auscultação das aspirações da população, dos agentes económicos, sociais e culturais deste Município, bem como dos cenários conjunturais da globalização, este documento orientador da estratégia de desenvolvimento local contém, em si mesmo, o princípio da flexibilidade e da adaptação, em função das dinâmicas que se venham a operar no futuro.

Neste sentido, tão importante é a definição acertada das acções e dos projectos a desenvolver, com os mecanismos de monitorização dos mesmos, que deverão, sistematicamente, fomentar a envolvência dos actores/agentes que os promovem, induzir a cooperação institucional, desbloqueando e simplificando os procedimentos necessários á sua concretização, bem como verificar os respectivos impactes, no sentido de medir a sua utilidade e de ajustar as respectivas trajectórias.    

 

 

BOLETIM MUNICIPAL NOVEMBRO/DEZEMBRO 2007

publicado por flavicirc às 11:29

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O Projecto...

. Horizonte...

. Uma imagem...

. Porta-Chaves

. Programa Polis na Cidade ...

. AGENDA CULTURAL DE ABRIL

. Carnaval*

. As ruelas...

. Avaliação do 2º Período

. Relatório das Actividades...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Um olhar sobre o Tâmega...

blogs SAPO

.subscrever feeds