Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2008

Igreja da Misericórdia

A igreja da Misericórdia, bela jóia barroca da cidade de Chaves, está situada na Praça de Camões, encaixada entre o antigo Hospital da Santa Casa da Misericórdia e o Museu da região flaviense, onde se situava o antigo Paço dos Duques de Bragança.

            Refere a tradição oral que uma primeira capela por eles teria sido mandada construir, para servir o referido Paço, nos primeiros anos do século XV, quando os duques aqui estabeleceram a sua residência.

            Haveria até um passadiço que permitia o acesso interno entre o Paço e a Capela. Esta era dotada, nessas épocas passadas, com uma renda anual de duzentos mil reis, dos quais cento e vinte mil eram atribuídos pelo juro real.

            A Igreja da Misericórdia teria sido edificada sobre essa outra mais pequena, existente nesse mesmo local, da invocação da Senhora das Lágrimas, representada na expressiva imagem que ainda hoje se admira e venera no altar-mor da Igreja.

            Através dos tempos foram sendo realizados sucessivos melhoramentos que dotaram este monumento de características dignas da admiração de qualquer visitante e recolhimento dos crentes, pelas lições de arte e ensinamentos bíblicos expostos em esculturas e belos painéis.

            Observando a fachada da Igreja, a uma certa distância, ressalta desde logo a graciosidade da sua interessante gramática barroca, bem patente no ritmo das oito colunas salomónicas sobrepostas, na feição rotunda dos coruchéus e no dinamismo curvilíneo das volutas culminantes. Depois destaca-se, numa análise mais atenta, o lavor requintado da cantaria nos plintos e capitéis das colunas, na artística modelação aparente das duas grandes pilastras em granito, que cingem, lateralmente, a fachada e finalmente no exuberante relevo dos entablamentos e das cornijas.

            Quase no cimo, o imponente e maravilhoso frontão abriga, num nicho, uma escultura da Senhora da Misericórdia, também usualmente designada por Senhora do Manto, talhada em mineral, uma pedra branca e fina, de bom temperamento, talvez “pedra de lioz”, proveniente de Lagoas, concelho de Valpaços.

            Esta imagem da senhora da Misericórdia que, sob o seu manto, abriga todos os desventurados e todas as classes sociais, está representada nas mais variadas artes plásticas como símbolo mais significativo das misericórdias.

Uma ampla escadaria exterior dá acesso a um tríplice pórtico vedado com três artísticos portões de ferro forjado, que antecedem as portas da entrada do templo.

            Esta configuração do acesso resultou de uma remodelação da envolvente realizada pela Câmara Municipal em 1921, para assim permitir o alargamento e embelezamento dos largos Camões e Caetano Ferreira, onde a Igreja se situa.

            O barroco retábulo do altar-mor que ocupa a superfície total da cabeceira da igreja é em telha dourada, de cativante majestade e formosura, rico de primores decorativos, nas suas volutas e colunas torcidas, entre os quais avultam querubins, folhas de carvalho e de videira e cachos de uvas.

Esse retábulo está separado do corpo da Igreja por uma teia de balaústres em madeira, trabalhados também em estilo barroco.

            Após esta sumária análise dos aspectos genéricos, é oportuno de estudar cada uma das componentes que tornam grandioso este pequeno templo.

publicado por flavicirc às 11:31

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. O Projecto...

. Horizonte...

. Uma imagem...

. Porta-Chaves

. Programa Polis na Cidade ...

. AGENDA CULTURAL DE ABRIL

. Carnaval*

. As ruelas...

. Avaliação do 2º Período

. Relatório das Actividades...

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.Um olhar sobre o Tâmega...

blogs SAPO

.subscrever feeds